Eduardo e Xaropinho,amigos sempre presentes


O filho Clayton, a nora e a netinha Alana

   
Muitos podem pensar que esta não é uma familia comum,
mas temos momentos de descontração como qualquer família!
Churrasco em Família com muita presença de Deus!


Tom ainda nas ruas (Praça da Sé)


Tom com 12 anos

Você pode imaginar um menino de rua , dormindo sobre o a tubulação de ar da Praça da Sé tornar-se um pai , um homem de fé , cidadão de bem , um agente social de fato , que coopera no resgate de outras crianças e jovens que no passado viveram como ele e hoje tem 28 anos ?
Este é só um exemplo do que o amor verdadeiro é capaz de fazer, Tom perdeu sua mãe com 1 ano de idade, foi criado pelo pai acoólatra que lhe espancava sob a mira de um revólver calibre 38... aos 10 anos foi para as ruas. Quando Tom tinha 12 anos conheceu Marisa ingressando na família por meio de guarda de permanência. Quando Tom chegou estava submerso com os problemas das ruas, como o crack e cola de sapateiro, a luta diária para manter-se vivo nas ruas... Hoje, é uma pessoa maravilhosa, foi educador em uma das casas de atendimento à crianças e jovens, hoje trabalha em uma Pet Shop e é um exemplo a ser seguido! A história de Tom é relatada no livro Uma Parábola Real.


Tom no aniversário da Priscila


Batismo do Tom


Renato com algumas crianças que ele ajuda

Quando a  Marisa conheceu Renato, seu nome era Gilmar. O maior caso de vitimização com sobrevivência da América Latina. Tinha apenas 14 anos de idade, mas já apresentava traumas terríveis como pode acompanhar na matéria a seguir.
Teve seus dentes arrancados com chave de fenda em brasa , seu abdômen aberto a pontapés, a orelha e língua cortados com tesoura , estava com catarata pela inserção de de tantas coisas em seus olhos e havia tido duas rupturas do abdomem a pontapés. Tudo que sofreu vinha foi por parte da própria mãe biológica. A mesma cumpriu pena e hoje desfruta de liberdade assistida. Foram necessárias 19 cirurgias para reparar tudo que lhe ocorreu dos 0 aos 8 anos de idade.

Hoje, adotado legalmente pelo Marisa,  com 24 anos, Renato é palestrante contra a violência infantil dentro e fora do país. Atua ainda como  voluntário com crianças e jovens em uma das casas-lares da Parábola  e uma família de verdade que foi o que sempre desejou. Renato acaba de concluir mais uma etapa de sua vida com o livro que narra sua história e será lançado em breve, mas com certeza ainda tem muitas experiências para contar!